quarta-feira, 16 de junho de 2010

Ilusões.


As coisas deixam de ser reais quando analisamo-as ao fundo e, então, nos sentimos uma caça lutando pela sobrevivência enquanto cães raivosos trazem a dor da realidade em suas mordidas.
Anestesia-me as palavras Românticas, mas quando deixam de ser suficientes, a procura da perfeição torna-se insuportável.
Os finais felizes estão cada vez mais longe e as falsas ilusões causadoras da adoração de finais trágicos são cada vez mais nítidas... eles pareciam tão gloriosos! As gostas de veneno de Romeu entusiasmavam-me enquanto seu corpo desvanecia, o sangue de Julieta resplandecia ao escorrer do punhal e a taverna oscilava ao ouvir os lamentos de Solfieri. Agora, os tiros de Werther rondam meus pesadelos.
A realidade empurra o platonismo de volta ao breu quando sou apoderada pelos meus devaneios e, ao abrir os olhos, sinto-me perdida sem ter sonhos e falsas esperanças para me apoiar.
Falta ar! O desespero desenfreado que percorre o meu corpo mistura-se com a angustia pela felicidade, formando um sentimento tamanho que destroí minha firmeza e desgasta minhas forças. Num frenesi, caio ajoelhada, aceitando minha derrota. Perante a imagem do real, imploro, pela minha sanidade, um pouco das minhas ilusões.
E a realidade sorri. Maliciosamente sorri. Sua calma mata minha alma frenética enquanto seus olhos berram, num silêncio desconcertante, a mais dura das verdades. Desmorono no chão frio com ela se arrastando pelas minhas artérias, obrigando-me a senti-la.
Encara-me. Falta sentido em minha fala. Grito 'minhas ilusões'. Ela sussurra 'saia desta primeiro'.

8 comentários:

  1. que texto lindo!
    um tom bastante ilusitório, mas que remete a traços da realidade. despero poético. eu gosto disso !

    parabéns, garota!

    ResponderExcluir
  2. A realidade dói mesmo, dói, impondo-se.

    Abraço e obrigado pela visita ao meu blog!

    ResponderExcluir
  3. estou aqui para divulgar o projeto Papéis de Circunstâncias,
    Somos um projeto que tem o intuito de divulgar a nova poesia Brasileira atraves de um jornal Gratuito que o leitor recebera em casa, assine e receba, na opção assine do menu

    http://papeisonline.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. poxa amada Ariela eu fico mais e mais e mais surpreendido a cada vez que passo aqui, tem alma, sempre tem alma em que você escreve

    ResponderExcluir
  5. Gostei daqui.
    Muito bom o texto.Parabéns!
    Um abraçooooo!

    ResponderExcluir
  6. "Encara-me. Falta sentido em minha fala. Grito 'minhas ilusões'. Ela sussurra 'saia desta primeiro'."

    É assim mesmo! Lindo!

    ResponderExcluir
  7. Incrívél!
    Detentor de um ritmo frenético, o que torna impossível parar de ler.
    Muito bom mesmo.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  8. Esse seu texto é lindo... Você escreve muito bem... Ele expressa muito bem os sentimentos...

    ResponderExcluir

Brindará também o surreal?